Iniciativa Transforma Resíduos da Bananeira em Prato Biodegradável

Um prato biodegradável produzido com resíduos da cultura da banana, desenvolvido com mentoria da Embrapa Agroindústria Tropical, é um dos resultados do Laboratório de Criação da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco. Os projetos amparados pelo Laboratório de Criação serão apresentados ao público na terça (17) e quarta (18), no encontro Cultura Para Alimentar. O evento, gratuito e aberto ao público, contará com mesas redondas, degustações e apresentações artísticas em torno dos temas abordados pelas pesquisas desenvolvidas no Laboratório de Criação em Cultura Alimentar e Gastronomia.

O prato biodegradável é produzido com o pseudocaule da bananeira e cola de amido. O produto foi desenvolvido pela pesquisadora Paula Facó, com orientação do analista da Embrapa Adriano Lincoln Albuquerque Mattos, que é doutor em Ciência e Engenharia de Materiais. A ideia do projeto é aproveitar o resíduo de uma fruta muito produzida e consumida no Ceará. Para tanto, a pesquisadora que é estudante de gastronomia, procurou a Embrapa e encontrou no Laboratório de Tecnologia da Biomassa equipamentos e a expertise necessários para o desenvolvimento do projeto.  

“O projeto todo gira em torno do aproveitamento de resíduo e da economia circular”, diz Paula Facó. Ela explica que a ideia é romper com o modelo de produzir, usar e descartar. “É preciso continuar o círculo, em vez de descartar, transformar para ser usado novamente”, diz.

Esse paradigma do aproveitamento integral faz parte da missão do Laboratório de Tecnologia da Biomassa, da Embrapa Agroindústria Tropical, onde o estudo foi desenvolvido.  Como explica o Adriano Mattos, o laboratório atua no desenvolvimento de materiais, produtos e processos focados no uso sustentável e integral dos resíduos agrícolas e agroindustriais da biomassa brasileira.  

Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco

A instituição, da Secretaria da Cultura gerida pelo Instituto Dragão do Mar, lança anualmente editais do Laboratório de Criação em Cultura Alimentar e Gastronomia. No decorrer de 2019, sete pesquisadores, selecionados por meio de Edital, trabalharam em projetos relacionados com diferentes temas da cadeia produtiva do alimento, desde a colheita até o direcionamento de resíduos.